Sistema Mundo

Jornalismo pelo mundo

 
 
Buscar
  • Letícia Sé

Para além das praias, saiba quais são os atrativos urbanos do Recife


Recife foi considerada a quarta pior cidade do mundo para se viver nos anos 1990 por um instituto de pesquisa americano. O slogan negativo foi até cantado por Chico Science, líder do movimento manguebeat, na música Antene-se.


Mas hoje Recife é um dos mais importantes pólos culturais do Brasil, e não só no sentido histórico passado: atualmente, o cinema pernambucano tem representado o país em eventos internacionais e apresentações de música e dança acontecem nas ruas da capital pernambucana quase diariamente. O Sistema Mundo reuniu algumas atividades para quem quer conhecer Recife e esse contexto vivo da cultura brasileira:


Roteiro cinematográfico

O estado de Pernambuco foi pioneiro na última década com suas leis de incentivo à cultura. Dentro das obras cinematográficas locais, uma particularidade é o realismo na ficção. Em Bacurau, o filme pernambucano mais popular dos últimos tempos, o uso de não-atores nas cenas é prova disso.


O turista que vai ao Recife pode viver esses cruzamentos entre realidade e ficção em um cenário cinematográfico: por exemplo, o apartamento em que foi gravado Aquarius (2016), de Kleber Mendonça Filho, está disponível no Airbnb.


"Hoje pode ser alugado via Airbnb, todo mobiliado. Esse lugar é incrível, conhecendo ou não o filme", escreveu o diretor no Instagram para divulgar a novidade aos cinéfilos. Localizado na praia de Boa Viagem, o preço da diária é R$ 450.



O preço não é muito acessível. Mas não impede os visitantes da cidade de viverem experiências com o cinema local. O Cinema São Luiz, localizado na Rua da Aurora, no centro do Recife, é parada obrigatória para quem quer entrar em contato com a produção contemporânea de cinema. Às terças-feiras, o preço da entrada inteira é R$ 6 e da meia, R$ 3. De quarta-feira até o fim de semana, a inteira é R$ 10.


Fundado em 1952, o Cinema São Luiz é um dos cinemas de rua históricos que sobrevive no Brasil. Foi fechado em 2007 e reinaugurado em 2009 e mantém o letreiro retrô para anunciar filmes na fachada. As poltronas vermelhas, o balcão e os vitrais iluminados compõem a sala de exibição.


O cinema tem uma programação muito dedicada à produção local - filmes pernambucanos sempre estão em cartaz. Hoje estão entre eles Azougue Nazaré (de Tiago Melo, 2019), Açúcar (Renata Pinheiro e Sérgio Oliveira, 2020) e Recife Assombrado (Adriano Portela, 2019). Os três têm uma tônica de realismo mágico e, seja qual for o escolhido, aproximam quem visita Recife da história local.


Recife Antigo

Conhecer o Recife Antigo em uma terça-feira deve ser prioridade na lista dos turistas que visitam a capital pernambucana. Além de oferecer atrações culturais gratuitas durante o dia, à noite acontece festa de brasilidades em pátio histórico.


Oficialmente nomeado de Bairro do Recife, a região ilhada entre os rios Capibaribe, Beberibe e o mar foi palco de grande comércio de africanos escravizados até o século 19. Pernambuco representava, desde o início da colonização, dos mais importantes pólos produtores de açúcar no Brasil, sendo invadido no século 17 pelos holandeses - o que deu a Recife suas particularidades arquitetônicas e lutas por emancipação próprias.


Os dois pontos turísticos do Recife Antigo a visitar gratuitamente na terça-feira são o Museu Cais do Sertão e o Paço do Frevo. O primeiro, em formato que lembra o vão do MASP (Museu de Arte de São Paulo) todo estruturado em cobogós, conta a história de Luiz Gonzaga. Através da biografia do rei do baião é também narrada a vida no interior de Pernambuco tanto no presente quanto no passado. Uma instalação representa uma casa sertaneja com objetos tradicionais e paredes de barro. Há também instalações interativas, com curtas-metragens sobre a música do interior pernambucano, o cotidiano e até um espaço para gravar sua interpretação das músicas de Luiz Gonzaga, em uma espécie de estúdio.


Já o Paço do Frevo é o museu dedicado à música e dança que se expandem para o resto do Brasil em épocas carnavalescas. Localizado na Rua da Guia, em frente à Praça do Arsenal da Marinha, o prédio branco de estilo neoclássico inglês data de 1906 e compõe um dos cenários mais bonitos do Recife. Ali funcionou a Western Telegraph Company até 1976, e hoje, além do Paço do Frevo, abriga a Rádio Frei Caneca FM, veículo público do Recife.


O museu do frevo tem em seu acervo estandartes de diversos grupos carnavalescos do Recife e de sua região metropolitana, salas audiovisuais que contam a história do frevo, além de aulas de frevo gratuitas ao longo do dia.

O bairro também abriga a sinagoga Kahal Zur Israel, primeira sinagoga das Américas, fundada em 1637 por judeus holandeses. Hoje transformado em museu, o antigo templo judaico oferece visitação à sua exposição fotográfica sobre o judaísmo em Pernambuco. A taxa para visitação é R$ 20 e não há um dia de entrada gratuita.


Ainda na Praça do Arsenal no Recife Antigo, a noite de terça oferece uma balada com entrada gratuita no pátio da Torre Malakoff, antigo observatório astronômico, construído em 1855. A Terça do Vinil é uma festa comandada pelo Dj 440, que toca brasilidades misturando artistas contemporâneos e clássicos, de Milton Nascimento a Duda Beat.


Do lado de fora dos muros da torre, ambulantes fazem promoção de cerveja: três latões por R$ 10, enquanto outros vendem espetinhos variados.


Além da Terça do Vinil, as opções noturnas mais populares são a Rua da Moeda e a Rua Mamede Simões.


Pré-carnaval em Olinda

As prévias, como são chamados os eventos de pré-carnaval em Olinda, já começaram. Desde o fim de 2019 é possível curtir blocos, clubes e troças. Para entender melhor o carnaval de Olinda e do Recife, é bom saber a diferença entre as denominações.


Blocos são compostos de uma orquestra de percussão e de instrumentos de corda, com um flabelo abrindo alas - um tipo de estandarte que traz o nome do bloco e sua data de fundação -, e um coral feminino. Essa modalidade de carnaval foi criada em 1920 para mulheres da pequena burguesia de Recife, que eram envoltas de uma corda, acompanhadas de seus parentes homens.


Já os clubes surgiram no final do século 19 com reuniões de trabalhadores do Recife, com destaque para os Vassourinhas e para o Clube das Pás de Carvão. Hoje são conhecidos como clubes de frevo, e contam com estandarte, orquestra e, às vezes, carros alegóricos.


As troças, por sua vez, mantém o ritmo do frevo e das marchinhas de carnaval tradicionais, mas são menos formais que os outros eventos. De proporção menor, elas se apresentam pela manhã e pela tarde. São chamadas de "levanta poeira" e têm sua origem nos subúrbios.


Confira a programação de prévias e do carnaval 2020 do Recife e de Olinda:


07/02 - Enquanto Isso na Sala de Justiça 08/02 - Bal Masqué

08/02 - De Bar em Bar

09/02 - Bloco do Alpha

09/02 - Ensaio aberto do Eu Acho é Pouco

15/02 - Chocalho do Neno

16/02 - Olinda Beer

17/02 - Noite dos Tambores Silenciosos

20/02 - Abertura do carnaval de Olinda

21/02 - Abertura do carnaval do Recife

21/02 - Completa mas não Derrama

22/02 - Galo da Madrugada

22/02 - Homem da Meia-Noite

22/02 -Trinca de Ás

22/02 - Ceroula de Olinda

22/02 - Menino da Tarde

22/02 - Eu Acho é Pouco

23/02 - Cariri Olindense

23/02 - Mucha Lucha

23/02 - Ceroulinha

23/02 - Batuques de Pernambuco

23/02 - Enquanto Isso na Sala da Justiça

23/02 - Mulher do Dia

24/02 - Eu Acho é Pouquinho

24/02 - Apoteose dos Bonecos Gigantes

24/02 - Pitombeira dos 4 Cantos

24/02 - Mulher na Vara

24/02 - Boi da Macuca

24/02 - Vaca Profana

24/02 - Amantes de Glória

25/02 - Bloco A Corda

25/02 - Encontro dos Bonecos Gigantes

25/02 - Pitombeira dos 4 Cantos

25/02 - Eu Acho é Pouco

25/02 - Ceroula de Olinda

26/02 - Bacalhau do Batata

10/04 - Bacalhau de Herodes



11 visualizações

São Paulo SP

©2019 by Sistema Mundo. Proudly created with Wix.com by Letícia Sé